Ao Grande Ser

Ao Grande Ser que me gerou eu peço
Não me deixe seguir por caminhos estéreis
Se não for com o intuito de receber a lição
Por mais que eu me desvie ou pense em cair
Preparai o meu caminho e a chegada certa
Percebendo a importância de cada pedra
Admirando a beleza de cada flor
E nunca me deixe esquecer minhas asas
Não deixe que a frieza abrace meu coração
Antes disso permita que o fogo abrase meu ser
Pois mesmo trilhando estradas de ilusões
Eu sempre serei ciente do amor que gera
Amor que impulsiona a seguir
E este amor não tem muros ou senhores
Mas que eu saiba silenciar na hora certa
Para que assim eu possa falar com o mundo
E assim sendo portar a chave de quem sabe tudo
Que eu ouse, mas que eu esteja pronto para voar
Sempre querendo e buscando o que está além
Por mais que se apresentem correntes
Eu sempre saberei que Deus usa asas
E que eu sou sua imagem e semelhança
O espírito encarnado que nasceu do amor
Viajante cósmico vindo das estrelas
E eis que vim para brilhar e espalhar esta chama
Pois sou templo e não escravo de dogmas
Pois sou alma em consciente livre vôo
E não aceito as gaiolas do mal e as grades da ignorância
Pois não sou máquina fria e desumana
Ou uma besta sedenta de ração
Sou espírito habitando corpo
Centelha em sagrada lâmpada
Ao Grande Ser que eu sou...
Eu sei, eu ouso, eu quero, eu calo.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores