Eu e meus vários rostos

Corredores de espelhos
Eu e meus vários rostos
Quem fui eu?
Quem já não sou?
Serei todos ou serei um outro?
Vejo Deus e seus diversos templos
Escolho um de seus infinitos nomes
Embora aceite todos...
Como espelho multifacetado
Cristal refletindo diversas cores
E me vejo em segundos em minha eternidade
Com espanto e graça
Rindo do paradoxo enigmático
Louco e mago
Um ser de luz e suas máscaras de ego
Onde estão todos?
Onde estou eu senão aqui ou em toda parte?
No tabuleiro cósmico sendo peão e rei
Luz e trevas, carne e alma
Guerras santas, vagas lembranças
À luz do grande sol
Na escuridão do grande ventre
Eu, o não-eu
Filho das estrelas, enviado sagrado
Mensageiro do Cosmos
Todo-parte.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores