Introdução

Do alto de minha colina sagrada, onde comungo da presença dos ventos, saúdo o grande deus solar em seu espetáculo crepuscular, enquanto imperiosa nasce por entre os distantes montes a deusa de prata em toda sua majestade. Nesse momento alquímico de imperiosa força, quando sol e lua se entreolham em equilíbrio sacrossanto, me vejo impelido da tentativa de traduzir com minha alma as impressões desta Grande Obra.
Eis que do alto do meu reino interno, refúgio do mago que me tornei, onde minha verdadeira face se faz desnuda, fiz um pacto com os imperadores ocultos deste iluminado projeto. Pacto este o de Sr porta-voz do além-carne, sendo canal mágico, tradutor dos senhores ocultos, mensageiro sagrado.
Honrado eu fui ao ser chamado ao Circulo Iniciático e lá dar provas de minha força e caráter, me tornando um dos pilares do projeto das belas senhoras entronadas em árvores. Nos pés da dama de longos cabelos de folhas prestei meu juramento e apresentei minhas armas, para que assim se cumprisse os desígnios do Alto. Consagrado e apresentado fui aos quatro sagrados, senhores do mundo e guardiões dos cantos do mundo, e lá recebi as chaves da grande base. Bebi do sangue verde, da essência da mata, do elixir das fadas, e a mim foi confiada uma das doze pedras do circulo de árvores. Carrego, pois em meu sacrário a luz da negra pedra, coroa dos sábios, aquela que vê o que não foi revelado, essência velada. Um manto negro riscado de estrelas que cobre meu ser, livrando-me do frio e protegendo minha alma.
Desde então venho a semear a minha luz no solo fértil dos que enxergam com a alma, traduzindo o que encontro em minhas andanças além, sendo farol para os que possuem os olhos da verdade e proclamando meu verbo aos que conseguem ouvir além dos ruídos da ignorância.
Eis que cá do alto venho registrando minhas memórias, buscando palavras que expressem um pouco de minha vivencia entre os muitos mundos que percorro.

0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores